quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Minha cara



Mergulhe nos mares sublimes...



“Não seja escravo do seu próprio passado – mergulhe nos mares sublimes,
dê um mergulho profundo e nade para bem longe,
de modo que ao retornar traga com você o auto-respeito, um novo poder,
uma experiência avançada, que irá explicar e ignorar o que é velho.”


Finish each day...

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

As coisas que temia...

imagem tirada daqui

“Eu vi que todas as coisas que temia e que me temiam,
nada tinham de bom ou ruim,
salvo até onde a minha mente era afetada por elas”

Cartas a um Jovem Poeta





“Como poderíamos esquecer todos aqueles mitos antigos que estão na raiz de todos os povos, os mitos sobre dragões que no último momento se transformaram em princesas? Talvez todos os dragões de nossas vidas sejam princesas que estão apenas esperando que nos tornemos belos e bravos. Talvez tudo o que é terrível seja, no seu sentido mais profundo, algo desamparado esperando por nossa ajuda. Assim, você não deve ter medo se surgir uma tristeza que seja maior do que qualquer coisa que você já tenha visto; se uma impaciência, como luz e sombra de nuvens, passar sobre suas mãos e sobre tudo que você faz. Você deve pensar que algo está acontecendo com você, que a vida não lhe esqueceu, que segura você em suas mãos; ela não lhe deixará cair...”

Somewhere


Um ator encrenqueiro tem uma vida de excessos no hotel Chateau Marmont em Hollywood. Com a inesperada visita de sua filha de onze anos, ele é forçado a reexaminar suas atitudes.
Fonte: Folha

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Minha cara

L'amour


Sabedoria

imagem tirada daqui




"Quando a velhice chegar, aceita-a, ama-a . Ela é abundante em prazeres se souberes amá-la. Os anos que vão gradualmente declinando estão entre os mais doces da vida de um homem, mesmo quando tenhas alcançado o limite extremo dos anos, estes ainda reservam prazeres."

domingo, 26 de setembro de 2010

Mary e Max: uma amizade diferente





Uma história de amizade entre duas pessoas muito diferentes: Mary Dinkle (voz de Toni Collette), uma menina gordinha e solitária, de oito anos, que vive nos subúrbios de Melbourne, e Max Horovitz (voz de Philip Seymour Hoffman), um homem de 44 anos, obeso e judeu que vive com Síndrome de Asperger no caos de Nova York. Alcançando 20 anos e dois continentes, a amizade de Mary e Max sobrevive muito além dos altos e baixos da vida. Mary e Max é viagem que explora a amizade, o autismo, o alcoolismo, de onde vêm os bebês, a obesidade, a cleptomania, a diferença sexual, a confiança, diferenças religiosas e muito mais.


sábado, 25 de setembro de 2010

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Life



“A vida não é um questionário de Proust. Você não precisa ter que responder ao mundo quais são suas qualidades, sua cor preferida, seu prato favorito, que bicho seria. Que mania de se autoconhecer. Chega de se autoconhecer. Você é o que é, um imperfeito bem-intencionado e que muda de opinião sem a menor culpa.”

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Aprendizado

imagem tirada daqui




"A experiência é um professor brutal.
Mas você aprende - meu Deus, você aprende."

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Check-mate


"Na vida, diferente do xadrez,
o jogo continua depois do check-mate"

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Louco...

imagem tirada daqui


Perguntais-me como me tornei louco. Aconteceu assim:
Um dia, muito tempo antes de muitos deuses terem nascido, despertei de um sono profundo e notei que todas as minhas máscaras tinham sido roubadas – as sete máscaras que eu havia confeccionado e usado em sete vidas – e corri sem máscara pelas ruas cheias de gente gritando: “Ladrões, ladrões, malditos ladrões!”
Homens e mulheres riram de mim e alguns correram para casa, com medo de mim.
E quando cheguei à praça do mercado, um garoto trepado no telhado de uma casa gritou: “É um louco!” Olhei para cima, para vê-lo. O sol beijou pela primeira vez minha face nua.
Pela primeira vez, o sol beijava minha face nua, e minha alma inflamou-se de amor pelo sol, e não desejei mais minhas máscaras. E, como num transe, gritei: “Benditos, benditos os ladrões que roubaram minhas máscaras!”
Assim me tornei louco.
E encontrei tanto liberdade como segurança em minha loucura: a liberdade da solidão e a segurança de não ser compreendido, pois aquele que nos compreende escraviza alguma coisa em nós.

Hope


A esperança é uma ave que pousa na alma,
canta melodias sem palavras e nunca cessa.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Borboletas e bolhas de sabão



Creio que aqueles que mais entendem de felicidade são as borboletas e as bolhas de sabão... Ver girar essas pequenas almas leves, loucas, graciosas e que se movem é o que, de mim, arrancam lágrimas e canções. Eu só poderia acreditar em um Deus que soubesse dançar. E quando vi meu demônio, pareceu-me sério, grave, profundo, solene. Era o espírito da gravidade, ele é que faz cair todas as coisas. Não é com ira, mas com riso que se mata. Coragem! Vamos matar o espírito da gravidade! Eu aprendi a andar. Desde então, passei por mim a correr. Eu aprendi a voar. Desde então, não quero que me empurrem para mudar de lugar. Agora sou leve, agora vôo, agora vejo por baixo de mim mesmo, agora um Deus dança em mim!

Petite fleur

It's raining

imagem tirada daqui


Nunca esqueci a experiência de quando alguém botou a mão no meu ombro de criança e disse:
- Fica quietinha, um momento só, escuta a chuva chegando.
E ela chegou: intensa e lenta, tornando tudo singularmente novo. A quietude pode ser como essa chuva: nela a gente se refaz para voltar mais inteiro ao convívio, às tantas frases, às tarefas, aos amores. Então, por favor, me dêem isso: um pouco de silêncio bom para que eu escute o vento nas folhas, a chuva nas lajes, e tudo o que fala muito além das palavras de todos os textos e da música de todos os sentimentos. Silêncio faz pensar, remexe águas paradas, trazendo à tona sabe Deus que desconserto nosso. Com medo de ver quem - ou o que - somos, adia-se o defrontamento com nossa alma sem máscaras.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

So cute...






I love photos

Love is...

J'ai décidé d'être heureux

Amigos

imagem tirada daqui

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.

A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.

E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências…

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.

Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar. Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.

Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo!

Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.

Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer…

Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!

A gente não faz amigos, reconhece-os.

domingo, 12 de setembro de 2010

Friendship

Loucos e Santos
Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. Para isso, só sendo louco. Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só ombro e colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: Metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Criança, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que “normalidade” é uma ilusão imbecil e estéril.

sábado, 11 de setembro de 2010

Across the Universe

Across the Universe (Através do universo ou em todo universo) é uma produção estado-unidense de 2007 dirigida por Julie Taymor, de Frida. O filme retrata os anos 1960, com suas lutas, guerras e paixões, ambientando toda uma época através da obra dos Beatles. O elenco tem jovens talentos que interpretam e cantam, como o do inglês Jim Sturgess, a americana Evan Rachel Wood e o também inglês Joe Anderson. O filme também conta com algumas participações especiais de Bono do U2 e Joe Cocker, Salma Hayek.
Sinopse
O filme começa em Liverpool, de onde o inglês Jude (Jim Sturgess) decide partir para os EUA em busca de seu pai. Lá ele conhece Max (Joe Anderson), um estudante rebelde. Torna-se seu amigo e se apaixona por sua irma (Evan Rachel Wood). Esta por sua vez, acaba envolvendo com emergentes movimentos de contra-cultura, da psicodelia aos protestos contra a Guerra do Vietnã. Em meio às turbulências da época, Jude e Lucy vão passar por situações que colocam sua paixão em choque.


Fonte:
wikipedia

Isaac Asimov e o impacto da Internet

vídeo tirado daqui

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

O belo...

imagem tirada daqui

Olha, sabe duma coisa que eu aprendi?
O segredo do belo está aqui, oh.
Na sua cuca, no seu olho que realmente vê, dentro de você.
Se você souber olhar as coisas dum jeito mágico,
tudo fica mais bonito.


quinta-feira, 9 de setembro de 2010

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Timidez


Quando penso que escapei de minha timidez, há um gesto
inesperado que me faz corar e regressar, rendido, para a
ausência de lugar. O corpo não é um esconderijo seguro.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Happiness

Por favor...



"Por favor... desenha-me um carneiro."

Happiness


Aquele que está satisfeito com sua parte é rico.




sábado, 4 de setembro de 2010

Mistery...

imagem tirada daqui

"Quando o mistério é impressionante demais, a gente não ousa desobedecer."

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Se tu amas...



"Se tu amas uma flor que se acha numa estrela,
é bom, de noite, olhar o céu.
Todas as estrelas estão floridas."