domingo, 31 de janeiro de 2010

L'amour


"Há quatro questões de valor na vida…
O que é que é sagrado?
Do que é que o espírito é feito?
Vale a pena viver pelo quê, e vale a pena morrer pelo quê?
A resposta a cada uma dessas questões é a mesma: só o amor."

As melhores frases de Gil Grissom: perito de CSI

01. Moscas mortas não mentem
02. Se existe algo lá fora no universo, é esperto o suficiente para ficar longe de nós
03. Algumas vezes, as melhores intenções são cheias de desapontamentos
04. Quem encomendou?
05. Não insulte os porcos, Nick. Na verdade, eles são bem limpinhos
06. Se você quiser alguém pra conversar... nós temos uma psicóloga às quintas e sextas
07. Porcos são muito inteligentes. Mais espertos do que cachorros e alguns políticos
08. Então ele é um cereal killer!
09. Count Basie diz que as notas que você não escuta é que importam
10. Pela lei você tem que declarar tudo: três quartos, dois banheiros, um esqueleto

As 10 melhores frases de House


1 - "Everybody lies." - Todos mentem.

2 - "It´s not Lupus. It's never Lupus.” - Não é Lupus. Nunca é Lupus.

3 - "Normal is not normal.” - Normal não é normal.

4 - "People don´t change." - Pessoas não mudam.

5 – “Reality is almost always wrong.” - Realidade está quase sempre errada.

6 - “Almost dying don't change anything. Dying changes everything.” - Quase morrer não muda nada. Morrer muda tudo.

7 - "Read less, more TV." - Leia menos, mais TV.

8 - "That's absurd. I love it." - Isso é um absurdo. Eu amei.

9 - "Truth begins in lie." - Verdades começam em mentiras.

10. "Symptoms never lie." - Sintomas nunca mentem.


terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Pensamentos...

As pessoas viajam para admirar a altura das montanhas,
as imensas ondas dos mares,
o longo percurso dos rios,
o vasto domínio do oceano,
o movimento circular das estrelas,
e no entanto elas passam por si mesmas sem se admirarem.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

domingo, 24 de janeiro de 2010

Billy Elliot


A academia de boxe que funciona num ginásio de um bairro proletário de uma pequena cidade da Inglaterra recebeu uma nova e indesejada clientela, as aulas de ballet da professora Wilkinson (Julie Walters, um talento reconhecido na Inglaterra que tem ganho espaço no exterior). Todos os garotos que participavam das lutas ficaram nitidamente aborrecidos com a nova situação, entre eles, Billy Elliot (Jamie Bell, estreando no cinema com uma atuação de gala).

O passar de algum tempo veio revelar a Billy que a convivência com o Ballet era mais do que agradável, tornava-se mesmo, irresistível. Os passos de dança combinados com a música clássica passaram a compor uma alternativa muito mais sedutora aos olhos de Billy do que os golpes desferidos por ele contra seus oponentes no ringue de boxe (atividade para a qual, diga-se de passagem, ele não parecia ter muita habilidade).

O problema que se segue surge da resistência da família, particularmente de seu pai (Jamie Draven), em aceitar a idéia de que seu filho se tornasse um bailarino. Numa comunidade onde prevalece a idéia de que o homem se afirma a partir de sua força e virilidade (que poderiam ser demonstradas numa luta de boxe), a possibilidade de se tornar bailarino parecia encaminhar a pessoa na direção contrária, numa afirmação de feminilidade exacerbada ou mesmo de homossexualismo.

O talento reconhecido pela professora e a mentalidade intolerante e opressora reinantes na região onde Billy vive se chocam, numa história emocionante e que parece acontecer muitas vezes, ao redor do mundo.

Obs. O filme foi o grande vencedor da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e foi indicado a 3 categorias do Oscar (Melhor roteiro adaptado, melhor diretor para Stephen Daldry e melhor atriz coadjuvante para Julie Walters).

Fonte: http://www.planetaeducacao.com.br/

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Pensamentos...

As nuvens mudam sempre de posição,
mas são sempre nuvens no céu.
Assim devemos ser todo dia, mutantes,
porém leais com o que pensamos e sonhamos;
lembre-se, tudo se desmancha no ar,
menos os pensamentos.

Pensamentos...

Duas pessoas têm vivido em você por toda a sua vida.
Uma é o ego, tagarela, exigente, histérico, calculista;
a outra é o ser espiritual escondido,
cuja silenciosa voz de sabedoria você somente ouviu ou
reparou raramente - você revela em si mesmo
o seu próprio guia sábio.

Gran Torino

Gran Torino é um filme de drama de 2008 dirigido por Clint Eastwood e produzido pelo último, Bill Gerber e Robert Lorenz. Eastwood também é o ator principal, retornando depois de muito tempo com essa função, desde Million Dollar Baby.


Walt Kowalski é um polaco-estadunidense veterano da Guerra da Coreia. Tem problemas familiares, realçados após a morte da esposa. Após tornar-se viúvo, continua a morar em sua casa, contrariando os desejos dos filhos, que expressam o desejo de ele ir morar em algum retiro para idosos.
Kowalski mantém a sua rotina: ele, ex-funcionário da Ford, faz ocasionalmente consertos em residências e suas distrações são saborear uma cerveja na varanda e ir mensalmente ao barbeiro. Não tem amigos nem planos para o futuro. Sozinho em um bairro dos subúrbios de Detroit, nutre antipatia por seus vizinhos asiáticos, xenofobia que ele trouxe da guerra. Kowalski credita aos imigrantes a devastação da economia e do modo de vida estadunidense e não esconde seu desprezo ao ver o filho dirigir uma Toyota, bem como aos vizinhos da casa ao lado da sua.
Sua rotina muda após aproximar-se de dois jovens moradores desta casa, os irmãos Sue e Thao. Sue lhe introduz à cultura hmong, etnia do Sudeste Asiático da qual faz parte. Thao, garoto inteligente porém tímido, conhece Kowalski após tentar roubar-lhe o carro, um Gran Torino 1972. O furto era parte de sua iniciação na gangue hmong liderada por seu primo, que o pressiona a se juntar a ela após salvar-lhe de uma gangue mexicana. Na ocasião, Kowalski surpreende Thao com uma arma usada na guerra. Ele volta a usá-la pouco depois, após a gangue hmong invadir sua propriedade em meio a uma pancadaria com a família de Thao, que tenta impedi-lo de se juntar ao grupo.
Envergonhadas, Sue e a mãe de Thao o obrigam a prestar serviços a Walt, para compensar pela tentativa de roubo. Com o tempo, Walt passa a desenvolver afeição pelo garoto e procura incentivá-lo a procurar um emprego honesto e afastar-se das más influências. A gangue do primo de Thao continua a aterrorizar a ele e a sua família e não se intimida com as ameaças de Walt, o que os levarão às últimas consequências.
Fonte: Wikipédia

domingo, 17 de janeiro de 2010

Beautiful Day



Está um lindo dia
Não deixe-o escapar
Está um lindo dia

Office Pilates


Sleep-working


quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

A felicidade


Tristeza não tem fim, felicidade, sim...

A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve, mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar...

A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval,
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento do sonho
Pra fazer a fantasia de rei ou pirata ou jardineira
Pra tudo se acabar na quarta-feira

A felicidade é como gota de orvalho numa pétala de flor
Brilha tranqüila, depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor

A minha felicidade está sonhando
Nos olhos da minha namorada
É como esta noite passando, passando
Em busca da madrugada
Falem baixo por favor
Pra que ela acorde alegre como o dia
Oferecendo beijos do amor

Alegre esperança atrai destino feliz


O homem abre o caminho da vida com o poder da mente
e constrói para si um destino condizente com seus pensamentos,
do mesmo modo que o escritor elabora o enredo de um romance,
de acordo com suas idéias.
Por isso é importante viver com a mente alegre,
vendo o lado luminoso da vida em vez do lado sombrio,
agradecendo pelo que possuímos,
em vez de olharmos os pontos falhos.

(Do livro Subarashii Mirai o Kisuko - Seicho Taniguchi)

Capacidade de Viver


A alegria tonifica o espírito.
A dor o enaltece.
A alegria forma o caráter; a dor, a vontade.
A alegria impulsiona em direção ao sentimento;
a dor, rumo ao universo, para o verdadeiro amor.
A alegria harmoniza a nossa capacidade de viver;
a dor aperfeiçoa a nossa capacidade de superação.
Ambos são essenciais para a nossa evolução.

Pensamentos...


A alegria está na luta,
na tentativa,
no sofrimento envolvido.
Não na vitória propriamente dita.

Demain, dès l'aube...

Demain, dès l'aube, à l'heure où blanchit la campagne,
Je partirai. Vois-tu, je sais que tu m'attends.
J'irai par la forêt, j'irai par la montagne.
Je ne puis demeurer loin de toi plus longtemps.

Je marcherai les yeux fixés sur mes pensées,
Sans rien voir au dehors, sans entendre aucun bruit,
Seul, inconnu, le dos courbé, les mains croisées,
Triste, et le jour pour moi sera comme la nuit.

Je ne regarderai ni l'or du soir qui tombe,
Ni les voiles au loin descendant vers Harfleur,
Et quand j'arriverai, je mettrai sur ta tombe
Un bouquet de houx vert et de bruyère en fleur.

Nunca Te Vi sempre Te Amei (84 Charing Cross Road)

Uma história de amor e gosto pelos livros, Nunca Te Vi, Sempre Te Amei apresenta os ganhadores do Oscar Anne Bancroft e Anthony Hopkins atuando de forma excepcional. Helen Hanff (Bancroft), uma escritora mal humorada, envia uma carta a uma pequena livraria de Londres, solicitando algumas obras inglesas clássicas raras. Frank Doel (Hopkins), o discreto vendedor inglês de livros, atende a seu pedido, iniciando uma troca de cartas comovente e graciosa entre dois continentes por duas décadas. A aspereza de Hanff contrasta com o comportamento pomposo britânico de Doel, mas o amor mútuo aos livros forma entre eles um elo que se intensifica com o passar dos anos. Suas cartas íntimas e altamente detalhadas descrevendo seus sonhos, esperanças, sofrimentos e alegrias nos faz mergulhar no universo de suas vidas, e eles acabam desenvolvendo uma amizade notável e duradoura.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Procrastination

“É evitar fazer algo, é não ser capaz de começar algo”, “é fazer oito coisas ao mesmo tempo e não terminar uma”, “é procurar o jeito mais difícil de fazer as coisas. É ir de uma idéia pra outra pra outra”.


Curta-metragem pensado,
animado e dirigido pelo Johnny Kelly,
do mestrado da Royal College of Art.

Vida simples

"As pessoas mais felizes
que conheci neste mundo
são os santos e,
depois deles,
os homens e mulheres
que sentem prazer
nas coisas pequenas."
Hugh Walpole

Palavras...


"O tolo pensa que ganhou uma batalha
quando maltrata com palavras duras,
mas apenas o saber ser paciente
nos tornará vitoriosos."
Samyutta Nikaya

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás



Um dia, numa rua da cidade, eu vi um velhinho sentado na calçada
Com uma cuia de esmola e uma viola na mão
O povo parou pra ouvir, ele agradeceu as moedas
E cantou essa música, que contava uma história
Que era mais ou menos assim:

Eu nasci há dez mil anos atrás
e não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais

Eu vi Cristo ser crucificado
O amor nascer e ser assassinado
Eu vi as bruxas pegando fogo pra pagarem seus pecados,
Eu vi,
Eu vi Moisés cruzar o mar vermelho
Vi Maomé cair na terra de joelhos
Eu vi Pedro negar Cristo por três vezes diante do espelho
Eu vi,

Eu nasci
(eu nasci)
Há dez mil anos atrás
(eu nasci há dez mil anos)
E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais

Eu vi as velas se acenderem para o Papa
Vi Babilônia ser riscada do mapa
Vi conde Drácula sugando o sangue novo
e se escondendo atrás da capa
Eu vi,
Eu vi a arca de Noé cruzar os mares
Vi Salomão cantar seus salmos pelos ares
Eu vi Zumbi fugir com os negros pra floresta
pro quilombo dos palmares
Eu vi,

Eu nasci
(eu nasci)
Há dez mil anos atrás
(eu nasci há dez mil anos)
E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais

Eu vi o sangue que corria da montanha
quando Hitler chamou toda a Alemanha
Vi o soldado que sonhava com a amada numa cama de campanha
Eu li,
Eu li os simbolos sagrados de Umbanda
Eu fui criança pra poder dançar ciranda
E, quando todos praguejavam contra o frio,
eu fiz a cama na varanda

Eu nasci
(eu nasci)
Há dez mil anos atrás
(eu nasci há dez mil anos atrás)
E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais

Não, não porque
Eu nasci
(eu nasci)
Há dez mil anos atrás
(eu nasci há dez mil anos atrás)
E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais
Não, não

Eu tava junto com os macacos na caverna
Eu bebi vinho com as mulheres na taverna
E quando a pedra despencou da ribanceira
Eu também quebrei a perna
Eu também,
Eu fui testemunha do amor de Rapunzel
Eu vi a estrela de Davi brilhar no céu
E praquele que provar que eu tou mentindo
eu tiro o meu chapéu

Eu nasci
(eu nasci)
Há dez mil anos atrás
(eu nasci há dez mil anos atrás)
E não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais

Mosca na Sopa

Eu sou a mosca que pousou em sua sopa
Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar
Eu sou a mosca que pousou em sua sopa
Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar
Eu sou a mosca que pousou em sua sopa
Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar
Eu sou a mosca que perturba o seu sono
Eu sou a mosca no seu quarto a zumbizar
Eu sou a mosca que perturba o seu sono
Eu sou a mosca no seu quarto a zumbizar
E não adianta vir me detetizar
Pois nem o DDT pode assim me exterminar
Porque você mata uma e vem outra em meu lugar
Eu sou a mosca que pousou em sua sopa
Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar
Eu sou a mosca que pousou em sua sopa
Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar
Atenção, eu sou a mosca
A grande mosca
A mosca que perturba o seu sono
Eu sou a mosca no seu quarto
A zum-zum-zumbizar
Observando e abusando
Olha do outro lado agora
Eu tô sempre junto de você
Água mole em pedra dura
Tanto bate até que fura
Quem, quem é?
A mosca, meu irmão
Eu sou a mosca que pousou em sua sopa
Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar
Eu sou a mosca que pousou em sua sopa
Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar
E não adianta vir me dedetizar
Pois nem o DDT pode assim me exterminar
Porque você mata uma e vem outra em meu lugar
Eu sou a mosca que pousou em sua sopa
Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar
Eu sou a mosca que pousou em sua sopa
Eu sou a mosca que pintou pra lhe abusar
Eu sou a mosca que perturba o seu sono
Eu sou a mosca no seu quarto a zumbizar
Eu sou a mosca que perturba o seu sono
Eu sou a mosca no seu quarto a zumbizar
Mas eu sou a mosca que pousou em sua sopa...

O Vendedor de Sonhos (Milton Nascimento)


Vendedor de sonhos
tenho a profissão viajante
de caixeiro que traz na bagagem
repertório de vida e canções

E de esperança
mais teimoso que uma criança
eu invado os quartos, as salas
as janelas e os corações

Frases eu invento
elas voam sem rumo no vento
procurando lugar e momento
onde alguem tambem queira cantá-las

Vendo os meus sonhos
e em troca da fé ambulante
quero ter no final da viagem
um caminho de pedra feliz

Tantos anos contando a hitória
de amor ao lugar que nasci
tantos anos cantando meu tempo
minha gente de fé me sorri
tantos anos de voz nas estradas
tantos sonhos que eu já vivi

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Limites


Transgredir, porém, os meus próprios limites me fascinou de repente.
E foi quando pensei em escrever sobre a realidade,
já que essa me ultrapassa.
Qualquer que seja o que quer dizer “realidade".

Quem diz que Amor é falso ou enganoso

Quem diz que Amor é falso ou enganoso,
Ligeiro, ingrato, vão desconhecido,
Sem falta lhe terá bem merecido
Que lhe seja cruel ou rigoroso.

Amor é brando, é doce, e é piedoso.
Quem o contrário diz não seja crido;
Seja por cego e apaixonado tido,
E aos homens, e inda aos Deuses, odioso.

Se males faz Amor em mim se vêem;
Em mim mostrando todo o seu rigor,
Ao mundo quis mostrar quanto podia.

Mas todas suas iras são de Amor;
Todos os seus males são um bem,
Que eu por todo outro bem não trocaria.

O tempo


Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Yoga, a arte da integração

Se o homem quiser libertar-se do estresse e da tensão da vida moderna, se quiser resolver o incessante conflito da contradição interna, deve acrescentar à psicologia da análise e da síntese uma nova dimensão de entendimento – e esta pode ser encontrada no caminho indicado pela psicologia do Yoga. Em parte alguma encontramos os princípios e a prática da psicologia do Yoga expostos com tal precisão e exatidão quando nos Yoga-Sutras de Patânjali. Estes sutras são um guia infalível no novo campo da psicologia que o Yoga revela ao olhar atento do homem. Com eles, o homem tornar-se-á capaz de ser independente ao tratar com seus problemas psicológicos simples ou complexos. Não há necessidade de ir a lugar algum para resolver suas enfermidades psicológicas, nem mesmo a um psiquiatra ou psicoterapeuta. Cada homem pode curar a si mesmo – este é o princípio fundamental da psicologia do Yoga. Por meio desta, sente-se capaz de libertar-se tanto dos psicólogos profissionais quanto do guru espiritual. O Yoga indica ao homem que ele pode ser uma luz para si mesmo. Enquanto a parapsicologia moderna e a percepção extra-sensorial chamam nossa atenção para as novas fronteiras da mente, a psicologia do Yoga convida-nos a novas dimensões de vida, onde a mente não é absolutamente limitada por fronteiras. Nos Yoga-Sutras de Patânjali encontramos um exame muito abrangente da psicologia do Yoga, feito de tal modo que combina uma abordagem estritamente científica com o insight profundo e penetrante da filosofia.
Todo o assunto do Yoga é apresentado na forma de sutras, contendo afirmações profundas expressas em uma linguagem que emprega um número mínimo de palavras – na verdade, é tão mínimo que nem mesmo uma sílaba pode ser removida. Tal economia de palavras para expor um tema de tão profunda importância, com tamanha clareza de expressão, como na literatura sutra, não se encontra em parte alguma.

Fonte: MEHTA, Rohit.Yoga, a arte da integração.

Pensamentos...




A concentração é o segredo da força.

Pensamentos...

A distância não é nada;
só o primeiro passo é difícil.