segunda-feira, 30 de novembro de 2009

To be or not to be

Ser ou não ser... Eis a questão. Que é mais nobre para a alma: suportar os dardos e arremessos do fado sempre adverso, ou armar-se contra um mar de desventuras e dar-lhes fim tentando resistir-lhes?
Morrer... dormir... mais nada... Imaginar que um sono põe remate aos sofrimentos do coração e aos golpes infinitos que constituem a natural herança da carne, é solução para almejar-se.
Morrer.., dormir... dormir... Talvez sonhar... É aí que bate o ponto. O não sabermos que sonhos poderá trazer o sono da morte, quando ao fim desenrolarmos toda a meada mortal, nos põe suspensos.
É essa idéia que torna verdadeira calamidade a vida assim tão longa!
Pois quem suportaria o escárnio e os golpes do mundo, as injustiças dos mais fortes, os maus-tratos dos tolos, a agonia do amor não retribuído, as leis amorosas, a implicância dos chefes e o desprezo da inépcia contra o mérito paciente, se estivesse em suas mãos obter sossego com um punhal?
Que fardos levaria nesta vida cansada, a suar, gemendo, se não por temer algo após a morte - terra desconhecida de cujo âmbito jamais ninguém voltou - que nos inibe a vontade, fazendo que aceitemos os males conhecidos, sem buscarmos refúgio noutros males ignorados?
De todos faz covardes a consciência. Desta arte o natural frescor de nossa resolução definha sob a máscara do pensamento, e empresas momentosas se desviam da meta diante dessas reflexões, e até o nome de ação perdem.

O Menestrel (William Shakespeare)

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.
Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la…
E que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam…
Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou, mas para onde está indo… mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho serve.
Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão… e que ser flexível não significa ser fraco, ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem, pelo menos, dois lados. Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se. Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens…
Poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém…
Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.

sábado, 28 de novembro de 2009

Ochenta días


Segunda sem carne (Márcia Bindo)

Apesar da polêmica que envolve comer ou não carne, uma coisa é certa: deixar de consumir proteína animal pode poupar o meio ambiente. O gás metano emitido no processo digestivo do gado é o terceiro fator para o agravamento do aquecimento global no planeta, com 16% das emissões de gases estufa – ultrapassando as emissões dos meios de transporte. Pensando nisso, a Sociedade Vegetariana Brasileira, em parceria com a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, criou a campanha Segunda Sem Carne. A ideia é incentivar as pessoas a deixarem a carne de lado ao menos um dia da semana. “É uma contribuição de todo cidadão para enfrentarmos esse que é hoje o maior problema ambiental do planeta”, afirma o secretário Eduardo Jorge. Na Grã-Betanha, a campanha vigora desde junho por iniciativa do ex-beatle Paul McCartney.

O límpido cristal

Que límpido o cristal de abril!... Um grito
não vai como os da noite — para os extramundos...
Todas as vozes, todas as palavras ditas — cigarras presas
dentro do globo azul — vão em redor do mundo
e a ninguém é preciso entender o que elas dizem;
basta aquele bordoneio profundo
que vibra com o peito de cada um...
palavras felizes de se encontrarem uma com a outra
nas solidões do mundo!

(Mário Quintana. Esconderijos do tempo. São Paulo, Globo, 1995)

O peso da palavra e do relacionamento (Ana Maria Rossi)

Quem diz que vai para o escritório para trabalhar e não para fazer amigos está enganado. Ou melhor, estabelecer uma rede de relacionamentos, ser flexível, se adaptar rapidamente a uma nova situação, saber se comunicar com a equipe ou colegas de trabalho, ter capacidade de negociação são características extras no atual mercado, que exige mais do que diploma. Não se trata de fazer amigos, mas de aprender o que se chama de linguagem corporativa. E este be-a-bá é feito de uma mistura de palavras claras, ditas do momento e para a pessoa certa somado a uma dose de carisma.

Não estou falando da política "mantenha um sorriso no rosto porque o cliente tem sempre razão", mas, sim, tentando mostrar que a facilidade em se expressar ou fazer relacionamentos tem peso tão importante quanto uma boa formação acadêmica. O que a intuição de muitos profissionais de recursos humanos já indicava foi comprovado num estudo finalizado no primeiro semestre deste ano pela ISMA-BR (International Stress Management Association no Brasil), associação internacional que estuda o estresse e suas formas de prevenção.

De acordo com a pesquisa, feita entre 230 profissionais — gerentes de três grandes empresas nacionais —, a eficiência na comunicação interpessoal funciona como um colete salva-vidas, atenuando os efeitos negativos das pressões e demandas nos níveis físico, emocional e comportamental. Para chegar a esta conclusão foram analisados três fatores: as pressões e as demandas no trabalho, o nível de ansiedade (somática, comportamental e cognitiva) e o nível de tensão muscular e a satisfação profissional.

Conclui-se, então, que o gerenciamento do estresse passa pelo desenvolvimento pessoal, além de programas efetivos de qualidade de vida no trabalho. Isso porque os custos do estresse não afetam apenas a saúde do trabalhador, mas, também, o bolso do empregador. Sabe-se que nos Estados Unidos o estresse profissional tem custo estimado em 300 bilhões de dólares ao ano e nos países membros da União Européia este valor gira em torno de 265 bilhões de euros – números relativos ao absenteísmo, rotatividade, lesões no trabalho e seguro saúde. Por aqui, ainda não foi feito o cálculo desta conta, mas acredita-se que temos valores similares ao americano.

Então, que tal começar a exercitar a linguagem? Faz bem para você e para aqueles com quem se relaciona.

Fonte: http://www.catho.com.br

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Audrey Tautou revive"Coco Chanel"




A vida de Gabrielle Bonheur Chanel (Coco Chanel ), desde os confins da austeridade ao máximo luxo, ganha as telas do cinema com a tão aguardada estreia de “Coco avant Chanel”.

O filme traz Audrey Tautou (a eterna Amélie Poulain) no papel de Coco Chanel, umas das mais importantes estilistas do século 20 e no elenco ainda aparecem nomes como o de Alessandro Nivola, Benoit Poelvoorde, Marie Gillain e Emmanuelle Devos.

O filme é obrigatório para quem gosta de moda e quer conhecer mais uma história à frente de seu tempo. O filme se concentrará nos anos de aprendizado da estilista: como uma jovem de origem humilde, que estudou sozinha e se tornou um símbolo de sucesso e liberdade, além de ajudar a criar o perfil da mulher moderna.

A trama trará partes de “L´irrégulière”, biografia de Coco escrita pela jornalista Edmonde Charles-Roux, com colaboração de Christopher Hampton. A produção de figurino conta com a ajuda da Chanel, que permitiu acesso total aos arquivos da maison.

Fonte: http://www.pipocablog.com/post/296/audrey-tautou-revivecoco-chanel-nas-telonas

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A Boy Named Charlie Brown



Like the shadows of the morning
That climb up to the August afternoon
Charlie has a way of picking up the day
Just by walking slowly in a room

Maybe it’s a kind of magic
That only little boys can do
But seeing Charlie smile can make you stop a while
And get you feeling glad you’re you

He’s only a boy named Charlie
A boy named Charlie Brown

He’s just the kid next door
Perhaps a little more
He’s every kid in every town

Well, the world is full of lots of people
Here and there and all around
But people, after all
Start out as being small
And we’re all a boy named Charlie Brown

Music: Rod McKuen, John Scott Trotter
Lyrics: Rod McKuen, John Scott Trotter

domingo, 22 de novembro de 2009

As seis perfeições do budismo

Imagine como seria se cada um de nós, ao nascer, recebesse um roteiro para encontrar a tão sonhada felicidade. Nesse tal código de conduta não estaria o nome de seu par perfeito nem a profissão que você deveria seguir para ter sucesso, mas algumas atitudes capazes de afastá-la da tristeza e da dor, levando-a a um estágio de bem-estar pleno. Pois, para os praticantes do budismo, esse roteiro existe e está expresso nas seis perfeições descritas por Buda e seus discípulos.

A palavra perfeição, ou paramita (em tibetano), tem como tradução literal a expressão “ir além”, ou “atravessar para a outra margem”. Segundo os preceitos do budismo, essa “travessia” é o caminho mais eficiente para quem busca se libertar de emoções perturbadoras – como a raiva, o medo e a depressão – e quer viver com mais alegria, paz e prosperidade. Na realidade, o termo perfeição, nesse contexto, é usado para simbolizar seis virtudes: generosidade, disciplina ética, paciência, esforço entusiástico, concentração e sabedoria, que juntas configuram um estilo de vida baseado na compaixão.

Isso porque, no budismo, o outro vem sempre em primeiro lugar e seu contentamento funciona como uma espécie de termômetro para sabermos se estamos na trilha certa para obter nossa própria satisfação. Para divulgar essa profunda filosofia, diversos representantes e divulgadores do budismo no Brasil se reuniram na Livraria da Vila, em São Paulo, por ocasião do lançamento do livro As Seis Perfeições – Como Atingir o Bem-Estar Supremo (WMF Martins Fontes), do mestre Geshe Sonam Rinchen.

Na obra, o autor – que é professor de filosofia budista em Dharamsala, cidade indiana onde vivem o dalai-lama e as principais autoridades tibetanas condenadas ao exílio – comenta as vantagens de incorporarmos essas virtudes ao nosso dia a dia. “Ao respeitarmos o outro, por meio da prática das seis perfeições, somos capazes de alcançar o que mais desejamos”, diz. Ao que acrescenta a monja Coen, fundadora da Comunidade Zen Budista de São Paulo: “Quem pega só para si não percebe que faz parte de um todo e que beneficiando os outros também será beneficiado”.

Fonte: http://bonsfluidos.abril.com.br/livre/edicoes/0128/01/01.shtml



Gandhi

Mohandas Karamchand Gandhi, mais conhecido como Mahatma Gandhi, guia espiritual e líder pacifista da Índia, teve um papel fundamental na luta pela independência desse país, colonizado pela Inglaterra. Ganhou projeção mundial como porta-voz da luta pelos direitos humanos e contra o racismo, a intolerância e a violência.

Nasceu em Cathiawar, na província de Bombaim, em 2 de outubro de 1869, filho de um político e uma religiosa. Casou-se aos 13 anos com uma menina da mesma idade, Kasturbai, com quem permaneceu por 62 anos.

Em 1888, Gandhi foi estudar direito em Londres e, três anos depois, voltou à Índia graduado como jurista. Logo em seguida, transferiu-se para a África do Sul (na época, também colônia britânica), representando uma empresa indiana em um processo judicial. Permaneceu ali 20 anos e iniciou um movimento pelos direitos da comunidade indiana local, que se tornou a semente para suas futuras ações pela libertação de seu país natal.

Entre 1908 e 1913, conduziu marchas, foi preso e condenado a trabalhos forçados e viu milhares de indianos escravizados na prisão. Sempre defendendo a não-violência, conquistou várias vitórias para a população hindu da África do Sul.

De volta à Índia, em 1915, com a certeza de que a independência de seu país só seria conseguida por métodos não violentos, iniciou um movimento de resistência passiva, procurando conscientizar a sociedade da importância da luta pacífica. Conquistando inúmeros adeptos para sua causa, Gandhi recebeu o título honorífico de mahatma (que siginifica “grande alma”). Ingressou no Congresso Nacional indiano e logo se tornou seu principal líder. Dali, orquestrou uma campanha nacional de não-cooperação com o governo britânico. Em um de seus apelos, convocando a população à greve, conseguiu que 400 milhões de pessoas cruzassem os braços.

A partir de 1924, Gandhi percorreu a Índia pregando os direitos humanos e a necessidade de diálogo entre as religiões. Afirmando sua dedicação aos pobres, viveu muito tempo entre eles. Durante toda a vida, foi exemplo de virtude, bondade e desapego aos bens materiais.

Até seus últimos dias, Gandhi trabalhou sem descanso por seu país e seu povo: quando não estava à frente das ações pela independência, trabalhava como reformador social. Foi assassinado por um fanático religioso hindu, em uma reunião de oração, em 30 de janeiro de 1948.

PARA SABER MAIS
Livros
- Mahatma Gandhi, de Huberto Rohden
- Gandhi, Poder, Parceria e Resistência, de Ravindra Varma
- Gandhi, Autobiografia, de Mahatma Gandhi
- Gandhi por Ele Mesmo, de Mahatma Gandhi
Filmes
- Gandhi, de Richard Attenborough


Fonte: http://bonsfluidos.abril.com.br/livre/gurus/guru01.shtml

Mr. Sandman (PomplamooseMusic)



Mr. Sandman, bring me a dream (bung, bung, bung, bung)
Make him the cutest that I've ever seen (bung, bung, bung, bung)
Give him two lips like roses and clover (bung, bung, bung, bung)
Then tell him that his lonesome nights are over.

Sandman, I'm so alone
Don't have nobody to call my own
Please turn on your magic beam
Mr. Sandman, bring me a dream.
(scat “bung, bung, bung, bung.….)
Mr. Sandman, bring me a dream
Make him the cutest that I've ever seen

Give him the word that I'm not a rover
Then tell him that his lonesome nights are over.
Sandman, I'm so alone
Don't have nobody to call my own
Please turn on your magic beam
Mr. Sandman, bring me a dream.

(scat “bung, bung, bung, bung)
Mr. Sandman (male voice: “Yesss?) bring us a dream
Give him a pair of eyes with a “come-hither” gleam
Give him a lonely heart like Pagliacci
And lots of wavy hair like Liberace

Mr Sandman, someone to hold (someone to hold)
Would be so peachy before we're too old
So please turn on your magic beam
Mr Sandman, bring us, please, please, please
Mr Sandman, bring us a dream.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

300 de Esparta

300 é uma Graphic Novel de 1998, publicada originalmente em 05 edições pela Editora Dark Horse, sendo publicada no Brasil pela Editora Abril utilizando o mesmo formato, sob o título Os 300 de Esparta. A história tem roteiro, desenho e arte-final de Frank Miller e foi pintada por Lynn Varley.
A Graphic Novel descreve a Batalha das Termópilas, ocorrida em 480 a.C., quando 300 guerreiros espartanos comandados pelo Rei Leónidas lutaram até à morte para refrear o avanço do exército persa do Rei Xerxes no território grego.
O combate atingiu o status de lenda, face à enorme desproporção entre as forças espartanas e persas.
Em 2006 a Dark Horse tinha planos de relançar 300 num único volume, no formato horizontal (widescreen) tal e qual a obra foi planeada para ser publicada mas tal não foi possível. No Brasil foi reeditada há pouco tempo pela Devir.
Em 2007 estreou nos cinemas o filme 300, baseado nesta Graphic Novel.
Fonte: Wikipedia
Leia mais: http://www.universohq.com/quadrinhos/300_esparta.cfm

A Arte de Amar

A Arte de Amar ("Ars Amatoria") é uma série de três livros do poeta romano Ovídio. Escrita em versos, tem como tema a arte da sedução. Os primeiros dois volumes da série, escritos entre 1 a.C. e 1 d.C., falam 'sobre conquistar os corações das mulheres' e 'como manter a amada', respectivamente. O terceiro livro, dirigido às mulheres e ensinando-as como atrair os homens, foi escrito depois. A publicação da Arte de Amar pode ter sido ao menos em parte responsável por Ovídio ter sido banido de Roma pelo imperador Augusto. A celebração do amor extraconjugal pode ter sido tomada como uma afronta intolerável a um regime que promovia os 'valores da família'. Para o leitor moderno, parte do interesse no poema está nos vívidos registros da vida cotidiana da Roma Antiga.

Fonte: Wikipedia

O Elogio da Loucura



Uma das mais célebres obras filosóficas do Renascimento, "O Elogio da Loucura" foi escrito originalmente em latim ("Encomium Moriae") e publicada em Paris, no ano de 1511, pelo escritor, filósofo e teólogo Desidério Erasmo (1469-1536), dito Erasmo de Roterdã, porto holandês onde nasceu.

Desde seu título, ela é uma homenagem a Thomas More, autor da "Utopia" e grande amigo de Erasmo. Observe a semelhança entre o nome More e Moria (loucura). "O Elogio da Loucura" fez grande sucesso à época de seu lançamento e continua atual.

Deve-se destacar que se trata certamente de uma das obras filosóficas mais divertidas de todos os tempos, uma vez que seu autor resolveu escrevê-la de modo francamente satírico, em seus 68 breves capítulos.

Cristianismo e Protestantismo
No texto, a Loucura, personificada como uma entidade viva, faz seu próprio elogio e se demonstra a imperatriz da humanidade, uma vez que ela é a "mola oculta da vida" e ninguém lhe escapa.

É assim, em tom de brincadeira, que Erasmo denuncia males reais, como a ingratidão, a hipocrisia e a intolerância. Esta última, diga-se de passagem, ocupa uma posição de destaque na obra, de vez que se está num momento de grande litígio religioso. Lutero se erguera contra o papa, lançando as bases da Reforma protestante.

Erasmo, porém, coloca-se numa posição equidistante entre católicos e protestantes, zombando tanto da pretensão destes últimos, que reinterpretam o cristianismo, quanto da arrogância dos cristãos. Exatamente por isso, o pensador se torna a grande expressão do humanismo cristão do período.

Humanismo
O humanismo deve ser entendido como um movimento literário e filosófico que nasceu na Itália, na segunda metade do século 14 e se difundiu dali para os demais países da Europa, sendo a base ideológica do Renascimento. Constitui-se do reconhecimento do valor do homem na sua totalidade e a tentativa de compreendê-lo em seu mundo: a natureza e a história.

A perspectiva humanista considera o homem em sua totalidade, como ser formado de alma e corpo, destinado a viver no mundo e a dominá-lo. Nesse sentido, o humanismo faz mudar o foco dos estudos acadêmicos conforme eram orientados na Idade Média, deixando de lado a metafísica e afirmando a importância do conhecimento das leis, da natureza, da medicina e da ética. Isso constitui a base da ciência moderna.

Lucky




Do you hear me, I'm talking to you
Across the water, across the deep blue
ocean under the open sky
Oh my, Baby I'm trying

Boy I hear you in my dreams
I feel your whisper across the sea
I keep you with me in my heart
You make it easier when life gets hard

Lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again
Ooohh oooh oooh oooh ooh ooh ooh ooh

They don't know how long it takes
waiting for a love like this
Every time we say goodbye
I wish we had one more kiss
I'll wait for you I promise you, I will

Lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again
Lucky we're in love in every way
Lucky to have stayed where we have stayed
Lucky to be coming home someday

And so I'm sailing through the sea
to an island where we'll meet
You'll hear the music, feel the air
I'll put a flower in your hair
Through the breezes through trees
move so pretty you're all I see
As the world keeps spinning 'round
you hold me right here right now

Lucky I'm in love with my best friend
Lucky to have been where I have been
Lucky to be coming home again
Lucky we're in love in every way
Lucky to have stayed where we have stayed
Lucky to be coming home someday

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Uma Barata Chamada Kafka

Encontrei uma barata na cozinha
Eu olhei pra ela ela olhou pra mim
Ofereci a ela um pedaço de pudim
O curioso foi que ela

Ela disse sim vem cá ficar comigo
Sim! Gosta de tudo que eu gosto
Sim! Vem cá ficar comigo
Sim! Vem, kafka

Ofereci a ela um disco do Sex Pistols
Ofereci a ela uma batida de limão
Perguntei se ela gostava dos beatles
Perguntei se ela era de escorpião
Ela disse sim vem cá ficar comigo
Sim! Gosta de tudo que eu gosto
Sim! Vem cá ficar comigo
Sim! Vem, kafka

Você mora na barata ribeiro num edifício
Que tem um buraco perto do chuveiro
Já se drogou com detefon, insetizan, fumou baygon
Tudo quanto é tipo de veneno você acha bom

Sim! Vem, kafka comigo
Sim! Gosta de tudo que eu gosto
Sim! Vem cá ficar comigo
Sim! Vem, cá ficar com nós

Como posso evitar essa coicidência
Encontrar uma barata com a minha aparência
La cucaracha, La cucaracha! tome cuidado com a sandália de borracha
La cucaracha, La cucaracha! tome cuidado com a sandália de borracha

Sim vem kafka comigo!
Sim, gosta de tudo que eu gosto!
sim, vem cá fica comigo
sim, vem kafka
La cucaracha, La cucaracha! tome cuidado com a sandália de borracha
La cucaracha, La cucaracha! tome cuidado com a sandália de borracha

domingo, 8 de novembro de 2009

Coisas simples da vida

Sabedoria

A melhor maneira de
combater sentimentos
como o medo e a ansiedade
é se esforçar para manter
a atenção no aqui e agora,
vivenciando cada momento por vez,
sem perder o foco,
haja o que houver

O rio e o oceano


Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo.
Olha para trás, para toda a jornada, os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.
Mas não há outra maneira.O rio não pode voltar.Ninguém pode voltar.Voltar é impossível na existência.Apenas podemos seguir em frente.
O rio precisa de se arriscar e entrar no oceano.E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparecePorque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano.
Por um lado é desaparecimento e por outro lado é renascimento.

Sabedoria

Um dia, um filósofo indiano fez a seguinte pergunta aos seus discípulos:
- Por que é que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?
- Gritamos porque perdemos a calma, disse um deles.
- Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?, questionou novamente o pensador.
- Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça, retrucou outro discípulo. E o mestre voltou a perguntar:
- Então não é possível falar-lhe em voz baixa? Surgiram várias outras respostas, mas nenhuma convenceu o pensador.
Então ele esclareceu:
- Vocês sabem por que se grita com uma pessoa quando se está aborrecido? O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, os seus corações afastam-se muito. Para cobrir essa distância, precisam gritar, para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvirem um ao outro, através da grande distância.
Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão apaixonadas? Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê? Porque os seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes, os seus corações estão tão próximos, que nem falam, somente sussurram. E, quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer de sussurrar, apenas olham, e basta. Os seus corações entendem-se. É isso que acontece quando duas pessoas se amam, estão próximas. Por fim, o filósofo concluiu dizendo:
- Quando vocês discutirem, não deixem que os seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

domingo, 1 de novembro de 2009

amanhã, apaixone-se!



amanhã, apaixone-se!
porque o dia seguinte é o dia mais importante da sua vida.
é no dia seguinte que sabemos se o dia anterior valeu a pena!
é no dia seguinte que acordamos para a realidade ou dormimos um sonho.
a vida da gente começa no dia seguinte.
e só existe uma maneira de viver: APAIXONADO!
por isso dance: dance como se ninguém estivesse vendo você
trabalhe como se ñ precisasse de dinheiro
corra como se não houvesse a chegada
ame como se nunca tivesse sido magoado antes
acredite como se não houvesse frustração
grite como se ninguém estivesse ouvindo
beije como se fosse eterno
sorria como se não existissem lágrimas
abrace como se fossem todos amigos
durma como se não houvesse amanhã
crie como se não existissem críticas
vá como se não precisasse voltar
acorde como se nunca mais você fosse dormir de novo
faça a próxima viagem como se fosse a última
vista-se como se não conhecesse espelhos
proponha como se não existissem as recusas
brinque como se não tivesse crescido
levante como se não tivesse caído
case como se não houvesse outra
mergulhe como se não houvesse medo
ouça como se não existisse o certo ou o errado
fale como se não existisse o certo ou o errado
aprecie como se fosse eterno
viva como e não houvesse fim
prefira ser em vez do ter
sentir em vez de fingir
andar em vez de parar
ver em vez de esconder
abrir em vez de fechar
apaixonar-se é um exercício de jardinagem: aranque o que faz mal, prepare o terreno, semeei, seja paciente, espere, regue e cuide. terá um jardim. mas esteja preparado: porque haverá pragas, secas ou excesso de chuvas. se desistir não haverá um jardim, terá um descampado.
a paixão não se vê, não se guarda, não se prende, não se controla, não se compra, não se vende, não se fabrica.
a paixão é a diferença entre o sucesso e o fracasso, entre a dúvida e a certeza, entre aqueles que gostam do que fazem daqueles que fazem o que gostam.
apaixonados não esperam, agem.
a paixão é o que fazem coisas iguais serem diferentes
lembre-se que a arca de nóe foi construída por apaixonados, que nada conheciam de navegação e embarcação, e o TITANIC foi feito por engenheiros profissionais fabulosos que queriam mostrar seu poder
amanhã quando acordar pense se hoje valeu a pena.
e apaixone-se.
porque em 24 horas você vai entrar no dia mais importante da sua vida: O DIA SEGUINTE.